quarta-feira, 13 de abril de 2011

COMO TORNAR-SE UM PROFESSOR INESQUECÍVEL NA METADISCIPLINARIDADE


COMO TORNAR-SE UM PROFESSOR INESQUECÍVEL NA METADISCIPLINARIDADE
Paulo Ramos, 2007


Chegou um grande dia, o mais esperado, o primeiro dia de aula. Pouco a pouco deixava a condição de ser humano único para tornar-se um ser aprendente. Uma maneira de aprendizagem que o professor passava para o aluno e logo em seguida já cobrava uma prova escrita ou oral, não se preocupava com o aprendizado do aluno, a partir do momento em que o aluno estava decorando, para o professor o aluno já estava alfabetizado. Nas escolas de antigamente a maioria funcionava em regime multisseriado, todas as séries juntas quando ainda se tinha uma escola, uma sala de aula apropriada, muitas das vezes as escolas principalmente, as da parte rural eram nos galpões cedidas pelos próprios pais que muitas das vezes não se podia ter aula por motivo de perigo porque não havia nenhuma proteção sequer. Naquela época a professora ficava numa situação constrangedora quando precisava-se dar um castigo a um aluno porque era tudo junto aos demais colegas, pois todos eram espectadores dessa cena.
Alguns anos atrás os incentivos das crianças eram através de ameaças, pancadas e muitas das vezes se o professor batesse na criança e seus pais ficassem sabendo quando chegavam em casa, poderiam ter certeza que era mais uma surra, todas essas crianças ficavam constrangidas de ir para a escola e errar em alguma coisa, porque estavam sientes que se não cumprissem o dever do professor não era através de palavras que seriam advertidas, mas sim através de pancadas.
Naquela época tudo isso era normal, essa triste constatação pode ser claramente notada em relação ao sentido das crianças, os professores nem tinham formação alguma, às vezes se tinha um professor até a quarta série, mas isso era muito raro, hoje em dia ainda se tem muitos professores em sala de aula que não tem formação adequada, mas é raro, hoje é necessário que o professor se direcione em olhar mais reflexivo em relação ao processo de ensino e de aprendizagem para que nós professores se tornemos inesquecíveis, devemos sentir-se gente, sujeito e assim poderemos ser os professores nessa dimensão possibilita vislumbrar a integralidade dos seres e dos saberes, pois, ambos estão interconectados com o movimento de transformação da sociedade, o professor inesquecível é o que tudo faz para tornar seu aluno um cidadão crítico e bem informado em condições de compreender e atuar no mundo em que vive. O professor deverá envolver seus alunos em sua aprendizagem e em seu trabalho, os alunos deverão saber trabalhar em equipe porque muitas das vezes eles não sabem trabalhar com materiais que envolvam seus pais, sua família. A formação dos educadores deve se adequar ao novo tempo que está sendo desenhado pela transformação que se implementa, privilegiando um processo de formação na qual seja a reflexão e o compartilhamento aos educandos. Portanto, são nessas considerações que precisam ser pensadas. O professor deve ser capaz de estabelecer relações entre o que ocorre em sala de aula com processos e estruturas mais amplas, mas também não nos adianta nós educadores termos uma formação, eficientes, se não temos uma instituição que não nos ajuda em nada, quando se quer alguma coisa nunca se tem.
O professor inesquecível na metadisciplinaridade precisa ser um caminho que conduza a aprendizagem e que haja um diálogo entre professor e aluno onde um conheça a vida do outro, não apenas em sala de aula, mas também em outros espaços. Dessa forma dá para entender as diferenças individuais tais como, o grau de interesse pelo estudo, ou amadurecimento emocional, entre outros. O professor inesquecível é aquele que ama o que faz, não aquele que a gente sabe, melhor, vê com nossos próprios olhos que está em sala de aula apenas pelo salário e nada mais, o professor inesquecível não dá apenas aulas expositivas, trabalha com variadas técnicas em sala de aula, ele precisa ter muito amor no que faz e principalmente ter muito amor e carinho com todos os seus alunos para que essas crianças possam gostar também de estudar, que elas se sintam motivadas na prática do professor; também é construído a partir das experiências de vida, o que possibilitará a orientar os alunos para o respeito mútuo, para a justiça, o diálogo e a solidariedade; dessa forma todos os professores conseguem auxiliar os alunos a enfrentar desafios e fortalecer uma educação para uma formação de melhor qualidade em seu dia-a-dia e em toda a sociedade.
O professor com autoridade não polariza as atividades desenvolvidas pelo aluno em certo ou errado, preocupa-se com o processo, tem objetivos pedagógicos a alcançar. Assim o caminho para a educação está coerente na concepção de homem e da sociedade. É necessário investir na pessoa humana acreditando que cada um tem potencial e limites, mas que nesta diversidade todos aprendem; o ato de ensinar sempre contém uma posição epistemológica que, por sua vez está alicerçada numa compreensão político-filosófica de mundo; para ser um professor inesquecível não são inatingíveis, desde que não nos esqueçamos de que a maneira como cada um de nós ensina e está diretamente dependente daquilo que somos como pessoa quando exercemos o ensino.
Tornar-se um professor inesquecível é se transformar em alguém que tenha serenidade para se esvaziar e sensibilidade para aprender, pois não devemos ter medo de perder nossa autoridade, devemos ter medo de perder nossos alunos.
Bom professor diz aos alunos: “Você está errado.”, professor inesquecível diz: “O que você acha do seu comportamento?”, ou “Diga-nos, como você chegou a este resultado?” Com todas estas perguntas acabam valorizando mais os alunos que erram do que o erro do aluno, pois aquele que errou, pelo menos teve interesse de fazer. É preciso que o professor ensine os alunos a tomar consciência dos seus sonhos. O sucesso nos chega quando corremos atrás dos nossos sonhos. O professor é semeador de idéias e não controlador dos alunos; o professor terá que ser um profissional com habilidades metadisciplinares, isto é, conhecer os conteúdos. Nessa perspectiva é preciso os métodos tradicionais e ao mesmo tempo respeitar a leitura do mundo dos alunos, pois não pode haver maior castigo do que ser obrigado a aprender aquilo que não tem interesse, ou que não tenha relação com seu cotidiano.
É muito importante amar os alunos. O amor faz nascer os pensamentos que levam até o objetivo. O professor descobre um jeito de chegar até os alunos. A educação assim indica uma função da escola para a realização do ser humano, alcançado pela convivência e pela ação concreta, as escolas se preocupam mais em desenvolver os conteúdos conceituais, portanto, há de construir uma escola, cuja construção que se inicia no âmbito dos filosóficos, para um projeto pedagógico e para as práticas e ações dos professores.
A escola vem se mantendo numa reprodução contínua de funções, desde que uma vez que os próprios professores não percebem pela formação fragmentada que tiveram, impedindo de conceber uma nova prática, com a aplicação dos conteúdos atitudinais e procedimentais que sirvam para melhor atender a sociedade e melhor conviver e agir em sua comunidade.
A escola, no decorrer do tempo, não apresentou muitas inovações e existências concretas de mudanças e com isso, os profissionais da educação, muitas vezes, passam despercebidos, os educadores passam despercebidos diante da situação, por vivenciarem e até mesmo contribuírem para uma fragmentação cada vez mais presente na educação, tornando o ensino uma reprodução prazerosa; é preciso que os professores se esforcem para fazer da escola um ambiente social, oferecendo aos alunos conhecimentos que venham a contemplar o desenvolvimento do homem na sociedade onde vive e que se transforma de modo constante.
O professor competente sabe administrar uma aula e também necessita de estudo contínuo da sua disciplina, tanto no ponto de vista dos conteúdos e como dos processos de ensino; dentre esses destacamos escolher estratégias adequadas para os alunos. As escolas existem, não para ensinar as respostas, mas sim para ensinar as perguntas. Esses critérios podem garantir uma melhor visão desses problemas, pois existem muitas coisas que quando não são aprendidas cedo deixam “cicatrizes” na formação da criança. A educação deve estar voltada para o desenvolvimento da autonomia e da ética para a valorização da diversidade. Uma educação antropológica que forme seres mais humanos e menos técnicos, pessoas criativas, capazes de refletir, de ouvir o outro, de respeitar as diferentes situações e buscar soluções, ele deve ser criativo, aproveitando seu espaço em sala de aula para promover o entendimento com os diferentes para que os conflitos sejam resolvidos e não camuflados. Não basta que o professor queira racionalmente ser democrático e cooperativo na relação com seus alunos, precisa que sua condição de ser com o outro seja vivida a partir de uma coerência com o que pensa e o que diz, é necessário, para tanto, aprender a condição de ser professor a partir do vivido nas relações cotidianas de sala de aula, para buscar a transformação, o crescimento e o desenvolvimento do professor.
A educação precisa contribuir para a formação de cidadãos capazes de enfrentar desafios diante da realidade e para saber intervir quando necessário, no desenvolvimento das capacidades cognitivas, afetivas, físicas, éticas, sociais e econômicas. O domínio cognitivo não é suficiente para o fazer pedagógico do professor, além de dominar o conteúdo que leciona deve ser mediador da aprendizagem, organizando sua  atividade de maneira participativa. Por tudo isso, é necessário que haja uma ação coletiva que permita a discussão do conhecimento, a troca de pontos de vista diferenciados, de modo a permitir o confronto a partir daí, a imersão em confluências, tanto dos profissionais quanto da escola; desta forma outros caminhos vão sendo encontrados para uma avaliação cada vez mais eficiente, sendo assim, a avaliação não será um meio de garantia do fracasso do ser humano, mas sim, um meio de promoção, de sucesso e de melhoria da qualidade de bem conviver, assegurando-lhes melhores resultados no desenvolvimento e na relação com outro ser.

Rosiléia Serafim
Especializanda
Gaspar

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário